Close
O que fazer em Chania na ilha de Creta

O que fazer em Chania na ilha de Creta

O que fazer em Chania na ilha de Creta

Roteiro completo 10 dias (parte 2)

Bem-vindo (a) a Chania na Grécia. Viagem feita entra os dias 10 e 20 de julho de 2016.

A parte 1 já está aqui no blog, então começarei diretamente com as informações da parte 2.

Chania é a segunda maior cidade da ilha de Creta, com aproximadamente 157 mil habitantes (dados de 2011). Em síntese, sua história começa no período neolítico e seus primeiros habitantes construíram um estabelecimento sobre a colina baixa Kastelli, um local de defesa.

Com efeito, ao longo dos séculos muitas invasões e guerras ocorreram. Além disso, sua arquitetura teve influencia do período bizantino, árabe, veneziano e otomano, enfim, um prato cheio pra quem gosta de história!

No vídeo abaixo você terá uma melhor visualização da atmosfera de Creta 🙂

Não esqueça de fazer sua inscrição no canal do Youtube para ver as novas aventuras!

Todos os pontos visitados na parte 2 dessa viagem você pode ver no mapa abaixo! É possível com o símbolo à esquerda do mapa ver outros pontos que também são interessantes, mas que eu não visitei.

Hospedagem em Chania

A hospedagem em Chania também foi pelo Airbnb e infelizmente, o anfitrião encerrou sua conta na página. Realmente uma pena porque ele era um grego muito simpático. Enfim, abaixo deixo fotos da vista linda que pude ter durante esses dias.

Vista apartamento Airbnb

O preço em julho de 2016 foi de €177,00 para 2 pessoas 5 noites, uma média de €17,70 euros por dia por pessoa e a localização era ótima, 12 minutos à pé do centro. O carro ficou estacionado na rua gratuitamente.

Vista apartamento Airbnb

Fortaleza de Rethymnon e Praia Preveli (dia 5)

Fortaleza de Rethymnon

Esse dia foi de despedida de Heraklion e partida em direção a Chania. Porém, no caminho eu passei pela cidade de Rethymnon para visitar a Fortaleza da cidade.

O preço da entrada é de €4,00 e tem uma linda vista, mas infelizmente fazia muito calor para fazer turismo e eu acabei passando um pouco mal.

Cidade de Rethymnon

Em suma, a Fortaleza de Rethymnon foi construída pelos venezianos sobre uma colina a oeste da cidade entre 1573-1580 para proteger os cidadãos contra os turcos. Desse modo, ela tem uma forma de estrela com três portões e seis muralhas e por vários pontos da cidade você pode vê-la por sua grandiosidade.

foto-60
Fortaleza de Rethymnon

Entretanto, uma informação um pouco contraditória que encontrei é que a Fortaleza não protegeu realmente as pessoas de Rethymnon por algumas razões: os venezianos cuidavam primeiro da segurança do seu próprio povo e depois dos cretenses; a sua construção não era totalmente segura e apresentava falhas; e também o local passou por dificuldades financeiras.

foto-61
Vista desde a Fortaleza

Praia Preveli

A próxima parada foi a praia Preveli, 32 Km ao sul de Rethymnon e muito bonita, porém um pouco difícil de chegar se você não gosta de trilha. Assim, na imagem abaixo é possível ver o quanto você tem que descer para chegar lá e sei que na descida todo santo ajuda, mas pra subir…

foto-65-1
Praia Preveli

Eu fui com tênis de caminhada porque é uma trilha de terra e pedras, não é difícil, mas só com o chinelo não dá. Dessa forma, para descer demorou 20 minutos e a volta 30 minutos.

Por fim, a última parada do dia foi a cidade de Chania, onde me hospedei por 5 noites.

Chania (dia 6)

Mercado Central

Esse dia eu aproveitei para conhecer com calma a cidade de Chania e também comprar as passagens de ônibus para o Parque Nacional de Samaria (que eu falarei no dia 7).

Assim, a primeira parada foi o Mercado Central, na rua Pl. Agoras, Chania 731 32 e com certeza vale a visita para comer algo grego ou comprar comida para o dia.

Mercado Central de Chania

Museu do Futebol

Um local muito legal que visitei foi o Museu do Futebol, a entrada é gratuita e o próprio dono estava no lugar, que foi muito simpático comigo e com meu namorado e nos mostrou vários jogos que ele foi pelo mundo para ver a seleção de Helas.

Por fim, ele também nos mostrou as fotos pela sua passagem pelo Brasil durante a Copa do Mundo de 2014.

Museu do Futebol

Museu Arqueológico de Chania

A última visita do dia foi o Museu Arquelógico de Chania, a entrada custa €4,00 e para estudantes europeus é gratuito. Infelizmente eu não sei o que aconteceu, mas eu não tenho nenhuma foto, acho que esse dia eu esqueci um pouco da câmera.

Por fim, o jantar foi no 63º Mezedosxoleion no centro da cidade e aqui cada prato é uma porção, como se fosse tapas da Espanha. Achei bem legal para pedir vários e dividir com quem está na mesa.

Tzatziki €3,00
Carne de porco com pimenta e cebola €6,90
Prato do fundo: Cyprus queijo grelhado €4,80. Prato da frente: Tyriokafteri €3,30.

Parque Nacional de Samaria (dia 7)

O Parque Nacional de Samaria, conhecido como Samaria Gorge, é uma área de 4,850 hectares e foi um dos passeios mais lindo que eu já fiz. Por isso, vou contar detalhadamente a minha experiência com as mais importantes informações.

Parque Nacional de Samaria

Previamente, o passeio começou em Chania, onde eu peguei um ônibus da empresa KTEL que partiu as 06h15min da estação central (foi ali que no dia anterior comprei minha passagem). Além disso, há outros dois ônibus partem às 07h45min e às 08h45min e são linhas que funcionam quando o parque está aberto.

Assim, o trajeto demorou 45 minutos e o ônibus para exatamente na entrada do parque, que se chama Xylokalo, no povoado de Omalos Plateau, há 1.230 metros acima do nível do mar.

Xylokalo tem a única lojinha antes de entrar no parque
Não há necessidade de levar muitas garrafas de água porque há muitos pontos com água potável para completar quando necessário. Também há vários banheiros disponíveis durante o trajeto. Apesar de ter um mini mercado antes de entrar no parque, eu levei minha comida preparada no dia anterior.

A descida do Vale

A entrada custa €5,00 e a partir dali você vai percorrer 16 km até chegar na vila Agia Roumeli, no litoral. Até lá o percurso pode demorar de 5 a 7 horas e eu levei 6 horas, com paradas de descanso e para comer.

Começo da Trilha no Parque Nacional de Samaria

Às 7:oo, quando começamos o passeio, estava um pouco friozinho, mas depois esquentou bastante.

Atenção:

  • Use bota/sapato de trilha confortável porque o caminho é longo e pedregoso.
  • É extremamente necessário levar protetor solar e um chapéu/boné, pois na última parte do percurso você irá com o sol na cabeça.
Parque Nacional de Samaria
Animais do parque

A Vila de Samaria

À aproximadamente 7,5 km da entrada Xylokalo está a deserta vila de Samaria e é um local excelente para um descanso, porque há mesas cobertas por árvores e água fresca.

Essa aldeia foi desocupada em 1962, quando a área foi declarada Parque Nacional. Os antigos habitantes tinham como atividade econômica a apicultura e o corte de madeira. Felizmente, as antigas oliveiras ainda são encontradas na frente das casas, cultivadas por eles para consumo próprio.

Vila de Samaria

Posteriormente, alguns quilômetros da vila de Samaria está um portão de 300 metros de altura e 4 metros largura. É um local de grande disputa de foto, por ser um símbolo do parque.

Portão de 300m de altura

A chegada

A saída do parque encontra-se aproximadamente 1,8 km depois desse portão, porém para chegar até a praia onde está Agia Roumeli são mais 30 minutos caminhando por uma estrada. Felizmente, há uma van que te leva até lá por €2,00 e eu fiz essa opção, já que queria aproveitar a praia antes de pegar o barco que saia às 17h30mim.

Saída do parque, van para Agia Roumeli

O ticket do barco você compra em Agia Roumeli e está bem sinalizado. Esse é o último barco do dia (17h30min) e ele te leva até Chora Sfakion, onde está o ônibus de volta para a estação de Chania, que não parte sem a chegada do barco.

Barco para Chora Sfakion

Essa foi a minha opção, ir e voltar no mesmo dia, mas você pode também passar a noite em Omalos e entrar no parque no dia seguinte ou dormir em Agila Roumeli.

Informações importantes sobre o Samaria

Aqui separei as últimas informações que você precisa saber antes da sua visita:

  • O parque nacional fecha fim de outubro por causa do outono chuvoso, mas se a chuva chegar antes que o período normal ele fecha antes da data prevista, pois com chuva é extremamente perigoso a visita. A abertura do parque no ano seguinte também depende do período de chuva e da quantidade de trabalho necessária para restaurar o caminho após o inverno, normalmente ele abre no começo de maio.
  • É importante você guardar o ingresso até a saída do parque porque ali os guardas tem a certeza que todas as pessoas que entraram no parque chegaram no final.
  • É proibido gritar no parque porque, além de ser desagradável para as pessoas, pode aumentar o risco de deslisamento de pedra. Aliás, evite descansar embaixo das falésias porque há risco de cair uma pedra sobre você e procure os lugares indicados para descansos.

Para terminar, aqui estão alguns fatores que podem contribuir para que você tenha uma experiência ruim:

  • Uma pessoa sedentária pode ter problemas para percorrer esses 16 km e também aquelas que têm problemas no joelho;
  • Sapatos inapropriados podem causar bolhas no pé e tornar sua caminhada dolorida;
  • Seguir a regra: primeiro PARAR e depois OLHAR! Eu cansei de ver pessoas que vão caminhando em um lugar pedregoso e tirando fotos e quase caindo… Isso pode gerar um acidente grave.

Praia de Balos (dia 8)

A praia de Balos fica aproximadamente 52 km a leste de Chania e existem muitos barcos que saem de diversos lugares de Creta e passam o dia nessa praia.

Praia de Balos

Como eu fui de carro, percorremos boa parte da estrada de terra para chegar ao estacionamento desde a portaria (entrada €1,00 por pessoa para a preservação local).

Depois de estacionar o carro, é preciso fazer uma trilha para chegar à praia e eu aconselho ir de tênis pois o caminho é pedregoso.

Praia de Elafonisi (dia 9)

Elafonisi é um pouquinho mais ao sul que Balos e fica a aproximadamente 73 km de Chania, não há trilha nenhuma para chegar à praia e você praticamente estaciona o carro na areia.

Praia Elafonisi

É bom você chegar cedo nas praias nessa época do ano, antes dos grupos de excursão que lotam tudo e tornam impossível o aluguel cadeira e guarda-sol. Elafosini é linda, água transparente e perfeita para nadar, por isso não esqueça óculos de mergulho para ver os peixinhos na água.

Por fim, o último jantar em Chania foi no restaurante Doloma e foi o qual eu mais gostei porque não era muito turístico e vi clientes locais. Por essa razão super recomendo esse local de comida caseira e deliciosa.

Placa indicando restaurante Doloma (clique na foto)
Prato de trás: Moussaka €7,- Prato do meio: Souflaki Choirino €7,50

Dica extra

A bebida grega que não posso deixar de mencionar é o Raki e quase todos os restaurantes têm no cardápio, mas também é possível comprar no mercado. O nosso anfitrião em Chania, muito simpático, nos ofereceu essa bebida assim que chegamos.

Raki (clique na foto)

Se você tem alguma dúvida ou conhece essa e outras ilhas gregas por favor deixe nos comentários! Qualquer outra dica é muito bem-vinda! Marque #depira na suas fotos do Instagram para que eu possa vê-las 🙂

Eu vejo você na próxima aventura!
Natalia

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.