Close
Budapeste e Szentendre

Budapeste e Szentendre

Roteiro Budapeste em 4 dias

Bem-vindo (a) à Budapeste na Hungria. Viagem feita entre 13/06/2016 e 18/06/2016.

Você já viajou sem realmente ainda ter pensado sobre o seu destino? Foi exatamente o que aconteceu comigo. Em junho desde ano tive a oportunidade de ir pela primeira vez ao leste europeu.

Budapeste foi a cidade escolhida por minha amiga espanhola e depois eu resolvi me juntar a ela. Por isso, convido você a vir comigo e conhecer minhas dicas para essa cidade maravilhosa.

No vídeo abaixo você terá uma melhor visualização da atmosfera de Budapeste 🙂

Não esqueça de fazer sua inscrição no canal do Youtube para ver as novas aventuras!

Informações Gerais da Viagem

No dia 13/06 meu voo saiu de Roterdã (Países Baixos) e chegou em Budapeste às 20:00, valor foi de €27,00 e a companhia aérea foi a Transavia. O retorno foi com a companhia Wizz e o valor foi de €30,00, porém aterrissei em no aeroporto de Eindhoven.

A minha hospedagem foi um quarto do Airbnb, que fica no lado de Peste. A localização era ótima e o valor para 5 noites foi de €48,00 por pessoa. Infelizmente ele não está mais disponível para reserva, mas há outras disponibilidades com preços bacanas.

Como chegar no centro de Budapeste?

É muito fácil chegar no centro de Busdapeste desde o aeroporto com o transporte público. Assim, depois do desembarque você deve comprar o ticket para o ônibus/metrô e ir com o ônibus 200E até a parada Köbánya-Kispest e depois trocar para a linha azul do metrô.

Mapa do metrô de Budapeste (clique na foto para amplicar)

Se você chegar de madrugada no aeroporto o transporte público não estará funcionando, porém há o serviço de van que é mais barato que táxi.

A moeda da Hungria

A moeda da Hungria é o florim húngaro e quando você chegar no aeroporto não saque dinheiro, já que pode comprar o ticket do ônibus/metrô com o cartão de crédito.

O câmbio na cidade é muito melhor, então leve euro em espécie para sua viagem e faça a troca nas dezenas de casas de câmbio do centro de Budapeste.

Budapest Card, vale a pena?

Budapest Card é um cartão turístico para conhecer a cidade e que custa €31,- (72 horas). Eu acho que vale a pena porque ele incluí o transporte público, museus, o banho termal e o walking tour (passeio a pé pela cidade com um guia). No entanto, existe também o cartão de 24 e 48 horas.

Budapest Card

*Atualizando as informações do blog (janeiro/2021), verifiquei que o cartão de 72h subiu para €44,-.

DIA 1

No primeiro dia o Budapest Card foi usado 4 vezes: transporte público, 2 walking tours e banho termal. Assim, o primeiro tour começou as 10:00 e o café da manhã foi algo típico: Kurtokalacs.

Kurtokalacs (€ 1,50)

Kurtokalacs é vendido em barraquinhas na rua e nas estações de metrô, é uma massa assada e você escolhe o que vai grudar nele: açúcar com canela, chocolate, etc.

Walking tour Peste

Esse tour, que faz parte do Budapest card, eu gostei muito porque em duas horas e meia você conhece os principais pontos turísticos em Peste, aprende muito sobre história e já seleciona os lugares que você quer voltar.

O idioma é inglês e abaixo selecionei alguns pontos turísticos que passei pela manhã:

Parlamento
Troca de guarda

A troca de guarda em frente ao Parlamento acontece às 12:30, porém se estiver chovendo não tem. No vídeo do post você pode conferir mais desse momento.

Mercado Bejaras
Mercado Bejaras

O Mercado Bejaras não é o mercado central, mas muito bonito e tem várias opções de doces húngaros. É possível almoçar aqui, mas em breve vou te mostrar uma opção mais barata!

Por fim, a nossa guia nos contou uma curiosidade sobre a água Hunyadi János de Budapeste que são vendidas em farmácias e custa €1,00.

Hunyadi János
A Hunyadi János foi encontrada numa planície regada pelo Rio Danúbio no bairro de Buda. Ela contém sulfato de sódio e magnésio como principais agentes fisiológicos.

Mercado Ferencváros

O Mercado Ferencváros foi inaugurado em 1897 por Karl Kamermayer, o primeiro prefeito de Budapeste. Infelizmente na Segunda Guerra Mundial ele foi muito destruído, porém restaurado e reaberto.

Mercado Ferencváros

O Ferencváros é a minha dica mais barata para almoço e 100% húngaro! Contudo, deixo aqui um alerta: CUIDADO ao pedir uma bebida que vem copo de vidro (ver foto abaixo os copos de cerveja) porque os restaurantes cobram pelo copo e no final você deve devolvê-lo com o recibo para receber o dinheiro de volta. O aviso é minúsculo, “pega turista”, então já vai preparado.

Abaixo está o Goulash de carne, repolho roxo, verdura e molho. Eu achei esse prato suficiente para duas pessoas.

Goulash
No piso térreo do Ferencváros estão as bancas de frutas, verduras, açougue com alimentos típicos húngaros e no piso superior ficam os restaurantes, lojinhas de artesanato e lembrancinhas.

Walking tour Buda

Após o almoço, foi a vez do tour de Buda e também foi em inglês. Assim, a primeira parada é o Castelo de Buda, que é lindo!

Em síntese, o castelo foi destruído durante a ocupação Otomana e reconstruído totalmente em 1769. Curiosamente, a sua área ocupa 4,73 km², então prepare-se para caminhar.

Praça interior do Castelo de Buda

Aproveite também para tirar foto do Rio Danúbio, que é o segundo mais longo da Europa com 2860 Km de extensão. Ele nasce na Alemanha e passa por 9 países, desaguando no Mar Morto (Romênia).

Rio Danúbio

Banho Termal

Por último, depois de muito caminhar, o dia acabou no St. Lukács Thermal Bath and Swimming Pools e esse não é o banho termal mais famoso, porém era o qual estava incluso no Budapest Card. No fim eu gostei muito porque o lugar estava tranquilo e muito limpo.

As termas de Budapeste tem uma longa história. Em suma, elas começaram com os romanos tanto para uso particular quanto público, porém entre os séculos VXI e XVII os turcos ocuparam grande parte da Hungria e construíram lindas termas que faziam parte da vida social deles. Afortunadamente, algumas delas são dessa época e funcionam até hoje.

Mas, de onde vem tanta água?

“Budapeste tem 123 fontes termais e 400 fontes de água salobra, das quais jorram cerca de 70 milhões de litros de água por dia. De onde vem toda essa água? A reposta está na formação geológica da região. O rio Danúbio passa por Budapeste e separa as colinas de Buda, na margem oeste, das planícies de Peste, na margem leste.

Num passado distante, o mar cobriu essa região, depositando calcário e dolomita. Essas rochas foram cobertas por camadas de argila, marga (calcário argiloso), areia e carvão. Rachaduras na superfície da terra permitem que a água da chuva penetre fundo no solo, onde rochas quentes, ricas em minerais, a aquecem. Sob pressão e superaquecida, essa água é expelida de volta à superfície através de rachaduras ou fontes.Esse fenômeno geológico ocorre, não só em Budapeste, mas também em toda a Hungria. Assim, pessoas de muitos lugares do país orgulham-se dessas águas ricas em minerais e das belas termas, que, segundo alguns acreditam, têm propriedades medicinais e curativas.” https://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/102008090

Restaurante Ruben

Por fim, o jantar foi no restaurante Ruben que é muito bom e barato, já que ele não se localiza em uma rua movimentada (geralmente aí ficam os restaurantes mais caros).

Restaurante Ruben

A entrada foi a sopa goulash e de prato principal o töltött káposzta, que é um repolho recheado com carne moída.

Töltött káposzta

Dia 2

Padaria Gerbeaud

O nosso café da amanhã foi na famosa padaria e confeitaria Gerbeaud e para chegar é só pegar a linha amarela do metrô e descer na parada Vörösmarty tér.

Padaria Gerbeaud

Em síntese, Gerbeaud foi fundada em 1858 por Henrik Kugler e seu nome veio de Emil Gerbeaud, um homem que se tornou sócio de Henrik em 1882. Com a morte de Gerbeaud em 1919, a loja foi dirigida por sua mulher até 1940. Em 1995, o local  foi comprado por um alemão chamado Erwin Franz Müller, que manteve o nome original.

Interior da Padaria Gerbeaud

Eu achei muito especial conhecê-la porque e eu gosto muito da história que ela tem. Entretanto, é um dos mais tradicionais cafés da Europa e consequentemente caro.

Tudo que está na foto deu aproximadamente €18,00, que são 2 cafés, o pão da direita da foto, Háromsajtos pogácsa (mais ou menos um pão com queijo) e a torta da esquerda, Gerbeaud szelet (bolo Gerbeaud).

Café da manhã na Padaria Gerbeaud

Hospital in the rock

Em seguida, a próxima parada foi o Hospital in the rock em Buda, que dá 30% de desconto com o Budapeste Card. Infelizmente eu não tenho foto, pois é proibido.

Eu recomendo a visita porque é muito interessante a história desse hospital, construído em um sistema natural de cavernas e que começou sua história na Segunda Guerra Mundial.

Galeria Nacional da Hungria e Museu de História de Budapeste

A Galeria Nacional da Hungria e Museu de História de Budapeste ficam no lado de Buda e a entrada é livre com o Budapeste Card. Assim, no primeiro você verá obras de arte húngara desde a Idade Média até o século XX, além de algumas esculturas que estão no Salão do Trono.

Galeria Nacional da Hungria

Já o Museu de História de Budapeste, mostra a história da cidade desde a Idade Média até a época atual, como por exemplo, objetos cotidianos da Hungria e reproduções de quartos e lugares tradicionais.

Grande Sinagoga de Budapeste

À tarde, a visita foi na Grande Sinagoga de Budapeste – Dohány utcai zsinagóga, que Durante a II Guerra Mundial sofreu muitos danos, mas foi recuperada e hoje judeus da cidade e de todo o mundo se reúnem em Budapeste.

Felizmente, com o Budapeste Card tem desconto e fica aproximadamente €6,50. Por último, no ambiente externo você pode visitar o Monumento aos Mártires Judeus da Hungria.

Monumento aos Mártires Judeus da Hungria

Passeio de barco Rio Danúbio

A dica de ouro é que com o Budapest Card você pode usar os barcos como meio de transporte e foi dessa maneira que fiz meu passeio pelo rio Danúbio. Porém, fique atento aos horários porque são muito limitados.

Embarque

Além disso, há outros tipos de passeios de barco pagos: com áudio guia explicando um pouco dos monumentos; passeio com jantar incluso; passeio com jantar e música húngara, etc.

Vista desde o barco

Memorial Sapatos no Danúbio

Ao sair do barco segui em direção ao Parlamento porque muito perto dali está o memorial dos Sapatos no Danúbio, às margens do rio.

Sapatos no Danúbio

Esses sapatos são memoráveis aos judeus assassinadas a tiros e jogados no Danúbio entre 1944 e 1945. Antes de morrerem eles eram obrigados a tirar o sapatos e os corpos eram atirados no rio com a justificativas que deviam ser ‘limpos’ após a morte.

A saber, durante a II Guerra Mundial mais de 533 mil judeus húngaros foram exterminados em campos de concentração em toda a Europa.

Dia 3

City Park

O dia 3 começou com um passeio no City Park (Városliget) e ali se encontram muitas atrações como museus, a heroes square (praça dos heróis), a estátua do Anônimo, mais um banho termal de Budapeste, etc.

City Park

A heroes square reúne estátuas de bronze de 14 líderes húngaros que foram importantes na luta da liberdade e independência do país.

Heroes square

A estátua do Anônimo é uma homenagem a um famoso escrivão do rei que deixou muitos registros da história popular húngara. Infelizmente não se sabe qual a sua verdadeira identidade porque ele não assinava os papéis os quais escrevia.

Estátua do Anônimo

Museu Nacional da Hungria

Museu Nacional da Hungria também está incluso no Budapeste Card e conta a história do país desde sua formação até 1990. Esse edifício é considerado um dos palácios classicistas mais bonitos do país com suas enormes colunas que dão um ar de templo romano.

Museu Nacional da Hungria

Restaurante Duran

O almoço foi rápido e uma boa opção na correria é o Duran que vendem pãezinhos com algum recheio por cima e custam ente €0,80 e €1,- cada. Ele fica na rua Október 6. u. 15, mas há mais unidades dele pela cidade.

Restaurante Duran

Parlamento

Infelizmente, eu fiquei muito decepcionada com o método de venda de ingressos do Parlamento porque não europeus pagam muito mais. Como eu e minha amiga estávamos falando em espanhol (ela é espanhola), aproveitei a situação e paguei o preço para europeus de €7,50 (eles não pediram documento).

Visita guiada no Parlamento de Budapeste

O preço para não europeus são €17,00 🙁 Não achei que vale a pena a visita porque são poucas as áreas visitadas. Contudo, essa é a minha opinião, talvez seja o seu sonho entrar nesse Parlamento…

Visita guiada no Parlamento de Budapeste

Teatro Budai Vigadó

Por último, à noite nós fomos ao teatro Budai Vigadó, que fica no lado de Buda. A apresentação foi de folclore húngaro, um grande show da dança do país através do tempo.

Teatro Budai Vigadó

O ingresso pode ser comprado com o pessoal da informação turística que fica em vários pontos da cidade, mas é possível também comprar online.

Dia 4

Cúpula da Basílica de São Estevão (Bazilikaa Szent Istvám)

O primeiro passeio do dia foi subir a torre da Basílica de Santo Estevão para uma vista panorâmica de Budapeste. O valor é de €2,-, mas para visitar apenas a Basílica é grátis.

Torre Basílica de Santo Estevão

No seu interior está a relíquia da mão de Santo Estevão, o primeiro rei cristão do país.

Relíquia da mão de Santo Estevão

Szentendre

O segundo passei foi a fofa cidadezinha de Szentendre às margens do Rio Danúbio e que fica a 15 km de Budapeste. Para chegar é preciso pegar um trem que sai da estação Batthyány tér e o valor é de €1,50.

Estação de trem em Szentendre
Trem em Szentendre

Na rua principal do centro da cidade tem um ponto informação turística, lá você pode pegar um mapa da cidade e decidir o que você deseja fazer.

Rua principal de Szentendre
Desse modo, nós escolhemos caminhar um pouco pela cidade, comer um Lángos, tomar café, tudo muito tranquilo.
Lángos, o tradicional com queijo

Restaurante Elsö Pesti Rétesház

De volta à Budapeste, o jantar foi no restaurante Elsö Pesti Rétesház para comer pato. O total para duas pessoas deu aproximadamente €35,00.

A bebida que escolhemos se chama Fröccs, é uma bebida típica feita de soda com vinho, mas não gostei. Esse restaurante é especializado em Strudel, então essa foi a nossa sobremesa. Infelizmente eu esqueci de tirar foto do prato principal.

Strudel

Ruim Pub

O Pub Ruína, no bairro judeu Erzsébe Tváros, foi o local para fechar a noite. Uma dica: chegue cedo! Nós chegamos às 22:00 e estava tranquilo, porém dentro já estava cheio. Quando saímos às 0:00 havia uma fila enorme para entrar.

Ruin Pub

O pub ruína é um lugar interessante porque parece um prédio meio em reforma e dentro há vários bares. Durante o dia você consegue ver os detalhes e tem dias que acontecem feiras artesanais.

Se você tem alguma dúvida ou sugestão dessa cidade por favor deixe nos comentários. Qualquer outra dica é muito bem-vinda. Marque #depira na suas fotos do Instagram para que eu possa vê-las 🙂

Eu vejo você na próxima aventura!
Natalia

7 thoughts on “Budapeste e Szentendre

  1. Eu amei a maneira como você descreveu a sua viagem, as dicas são sensacionais. Quero muito viajar e conhecer outros lugares, e espero poder essa mesma visão que você.
    Parabéns Ná

  2. Bom dia Natalia,
    estarei indo a Budapeste em outubro desse ano e quero fazer um bate e volta a Szentendre, é facil ir de trem ou seria melhor de carro?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.