Varsóvia

O que fazer 1 dia em Varsóvia

Monumento a Frédéric Chopin

A capital Varsóvia eu conheci em apenas um dia por falta tempo. Abaixo darei todas as dicas de o que fazer em um dia nessa cidade linda e como visitei um palácio de graça! Você encontra as informações sobre a moeda e o clima na Polônia no post de Auschwitz-Birkenau e também já contei tudo sobre Cracóvia e Breslávia.

Como chegar e hospedagem em Varsóvia?

Eu cheguei em Varsóvia pelo aeroporto Frédéric Chopin (WAW) vindo com a companhia Ryanair desde Breslávia, do Aeroporto Breslávia-Copérnico (WRO). A tarifa custou apenas €5,50 e a duração do voo foi de aproximadamente 1 hora. Ao chegar em Varsóvia eu peguei o ônibus 175 em direção ao Centro Velho. Veja aqui outras informações de transportes saindo do aeroporto.

Imprevistamente em Varsóvia tive novamente problemas com o Booking.com que fez a gentileza de reservar um hostel que não havia vagas! Foi a segunda vez em apenas uma viagem que o site me causou transtorno! O hostel, que eu supostamente tinha uma reserva, era o Warsaw Center Hostel LUX que fica na rua Nowogrodzka 42, quinto andar. Em resumo, o recepcionista desse hostel nos ajudou muito, ele telefonou para um hostel que fica no mesmo edifício e perguntou se tinha um quarto disponível. Ele pagou a diferença no momento e pediu reembolso ao Booking.com. No fim da história ficamos no hostel Mish Mash Nowogrodzka no mesmo edifício, mas no quarto andar.

Em Varsóvia você pode comprar o cartão Warsaw Pass para entrar nas atrações da cidade. Existe o de 24h, 48h e 72h e, além disso, você pode optar pelo transporte público no cartão. Eu não o comprei, mas aqui deixo a página oficial com os valores e os lugares que você pode visitar.
Cidade Velha (Old Town)

Um pouco da história de Varsóvia

A Cidade Velha de Varsóvia (Old Town) se origina do século XIII quando surgiu o primeiro núcleo da cidade. Desde então a população cresceu a cada século e consequentemente expandiu o seu território, que foi chamado de Cidade Nova (New Town) no século seguinte. Ao longo de sua história as famílias reais foram importantes para o desenvolvimento de Varsóvia como uma metrópole. Com efeito, três de suas residências antigas são abertas para visita: o Castelo Real (Zamek Królewski), o Parque Real de Łazienki (Łazienki Królewskie) e o Palácio de Wilanów (pałac w Wilanowie).

Varsóvia passa em 1596  a ser a capital da Polônia. Por essa razão, a cidade passou os próximos séculos por cenários de disputas políticas internacionais, luta pela sua independência e grandes guerras trágicas. Mesmo assim, a ela se levantou e foi reconstruída. Hoje a Cidade Velha de Varsóvia está na lista da UNESCO como Patrimônio da Humanidade.

Vista da praça interna do Castelo Real (Zamek Królewski)

Polacos importantes

Aqui quero falar rapidamente de dois nomes importantes da história da Polônia. O primeiro deles é do compositor Frédéric François Chopin, que nasceu na aldeia de Żelazowa Wola em 1810. Aos 6 anos ele começou a estudar piano em Varsóvia e fazer seus primeiros recitais públicos. Em 1830, na cidade de Paris, Chopin fez parte dos intelectuais e artistas mais destacados da cidade francesa. Ele faleceu ali aos 39 anos. Por isso, é possível ver em Varsóvia várias atrações associadas ao compositor: o seu museu, o monumento que está no Parque Real de Łazienki (Łazienki Królewskie), concertos internacionais de piano, etc. Aqui deixo uma página com mais informações.

O segundo é o jurista, diplomata, historiador e professor Jan Karski (Jan Romuald Kozielewski). Ele nasceu em 24 de junho de 1914 na cidade de Łódź na Polônia e foi testemunha do Holocausto. Entre as suas várias ações de resistência ao exército alemão, ele escreveu um relatório ao Primeiro Ministro britânico e ao Presidente americano alertando a situação desumana que viviam os judeus nos guetos. Assim que o exercito alemão soube de sua identidade ele não pode mais retornar à Polônia. No fim ele se formou doutor nos Estados Unidos e foi professor na Universidade de Georgetown. Jan Karsk faleceu em 13 de julho de 2000 na cidade de Washington.

Jan Karsk Monumento a Frédéric Chopin

Outros nomes importantíssimos polacos são Maria Slodowska-Curie, cientista pioneira nas pesquisas da radioatividade e a primeira mulher a ganhar o Prêmio Nobel e única que ganhou duas vezes; e Nicolau Copérnico, matemático e astrônomo que já no século XVI afirmou que o sol era o centro do universo com a Teoria Heliocêntrica do Sistema Solar.

Museu do Parque Real de Łazienki (Łazienki Królewskie)

O Museu do Parque Real de Łazienki foi a primeira coisa que fiz pela manhã. Às quintas-feriras a entrada é grátis! Se possível programe-se para ir esse dia da semana porque você vai economizar 40 zlótis (≈ €10,00). Para chegar pegue as linhas 116 ou 180 de ônibus.

Aqui está página oficial do Museu do Parque Real de Łazienki para outras informações. Outro passeio muito bonito é o Palácio de Wilanów, que eu não tive tempo de fazer. Às quintas-feiras a entrada também é grátis. Para chegar lá você deve pegar os ônibus 116, 180 ou 519.

Minhas amigas e eu escolhemos o Museu do Parque Real de Łazienki porque era o mais próximo do centro e também ali estava o monumento a Frédéric Chopin. Em suma, o Łazienki Królewskie foi a residencia de verão do Rei Stanisław August Poniatowski, o último rei da Polônia. O nome do lugar veio dos banhos (Łazienki) que estavam ali no século XVII, mas foram transformados no palácio no século seguinte. Este é o maior parque da capital, então reserve a parte da manhã ou da tarde para conhecê-lo.

Museu do Parque Real de Łazienki
Museu do Parque Real de Łazienki

Free walking tour em Varsóvia

Tour Cidade Velha

Em Varsóvia existem duas empresas de free walking tour: a amarela e a laranja (oranje umbrella). Isso foi perfeito para meu 1 dia em Varsóvia. Então, eu fiz primeiro tour “Varsóvia judaica” (jewish warsaw) com a laranja (diponível apenas em inglês) e, em seguida, o “Cidade Velha” (old town) com a amarela (disponível em inglês e espanhol). No final gostei muito de ambas empresas.

Praça do Mercado (Rynek Starego Miasta)

A Praça do Mercado foi construída entre os séculos XIII e XIV. Durante esse tempo aconteciam ali cerimônias, execução de condenados, mercados e feiras. Já no século XV começaram as construções góticas, mas infelizmente foram parcialmente destruídas por um incêndio em 1607. Até finais do século XVIII a praça foi a principal da cidade, apesar da expansão territorial de Varsóvia. Assim, hoje em dia ela é palco de cerimônias culturais e descanso para polacos e turistas.

Sino de bronze na Praça Kanonia

O solitário sino de bronze do século XVII da Praça Kanonia nunca chegou a ser pendurado em uma igreja. Conta-se que se você der três voltas ao seu redor te trará sorte! Observe retângulo branco na foto acima, porque está é a menor fachada de uma casa em Varsóvia. Em suma, o que acontecia antigamente era que pagava-se um imposto proporcional ao tamanho da fachada da casa. Por isso, um arquiteto, na tentativa de amenizar esse imposto, fez a fachada dessa casa muito estreita. Na foto abaixo você vê a fachada estreita e também como é o “fundo” da casa.

Fachada estreita da casa (clique na foto) “Fundo da casa”

Tour Varsóvia judaica

No tour da “Varsóvia judaica” eu apendi mais ainda sobre o gueto de Varsóvia e como viveu os judeus naquela época. Em síntese, os judeus em Varsóvia eram 30% de toda a população nos anos 30. Contudo durante a Segunda Guerra Mundial, mais precisamente em 1940, as forças de ocupação nazista construíram um gueto em Varsóvia e colocaram 350 mil pessoas para viver ali. Assim começou a dizimação dos judeus dentro dessa prisão. Eles passavam fome, tinham doenças e eram repreendidos pelos soldados de Hitler. Alguns eram transferidos para os campos de concentração para trabalhar como mão-de-obra escreva.

Por fim os portões do gueto foram abertos em 19 de abril de 1943 para uma luta armada entre os judeus sobreviventes e os soldados alemães. Eles conseguiram resistir por muito tempo, mas a vitória dos nazistas era inevitável. Dessa forma, a história de resistência dos judeus é lembrada pelo Monumento dos Heróis do Gueto. Hoje não é possível ver o gueto porque os nazistas o destruíram em 1943, mas toda a lembrança está no Museu de História dos Judeus Polacos.

Museu de História dos Judeus Polacos Monumento dos Heróis do Gueto
Foto do gueto e à esquerda a marcação de onde ficava o muro

Restaurante em Varsóvia

Em Varsóvia eu recomendo o restaurante Zapiecek. Eu gostei bastante, a comida polaca é muito saborosa e as pessoas do restaurantes muito simpáticas. Ele é tipo uma franquia e tem vários pela cidade, eu fui no da ut. Freta 18. Eu estava tão cansada no final desse dia que acabei esquecendo de tirar foto da entrada do restaurante, mas lembrei de tirar dos pratos 🙂

Sopa 54 do menu – 8,49 zlótis cada
(≈ €2,12)
Panqueca 67 do menu – 31,99 zlótis
(≈ €7,99)

Dica extra: a melhor Vodca

A vodca é marca registrada da Polônia. Antes de eu fazer essa viagem uma polaca me disse que a vodca de figo era a sua preferida! Por isso eu provei vários sabores, mas a de figo é a melhor. No aeroporto eu consegui comprar uma garrafa para trazer para casa 🙂

Vodka de figo (Figa), a melhor

A passagem de volta custou €30,00 com a Companhia Ryanair desde o aeroporto Modlin (WMI), à 35 quilômetros de Varsóvia. Minhas amigas e eu fomos ao aeroporto de Uber que custou €22,00. É possível chegar ao Modlin com o ônibus que custa 9 zlótis (≈ €2,25), se você comprar antecipadamente pela internet. O preço sobe para 33 zlótis (≈ €8,25) se for comprado na hora.

Se você tem alguma dúvida, sugestão ou já foi para Varsóvia por favor deixe abaixo nos comentários para que outras pessoas possam ter mais dicas 🙂 Por favor me marque na suas fotos do Instagram com #depira para que eu possa vê-las!

Eu vejo você na próxima aventura!
Natalia

6 responses to “Varsóvia”

  1. E agora?
    Como eu faço?
    Deu vontade de ir conhecer e experimentar essa vodka kkkkkkkkk

  2. Rita disse:

    Excelentes dicas! Fiz todo o roteiro que recomendou no post! Vale muita a pena fazer o walking tour e visitar o parque Lazienkie muito bonito, a cidade velha é igualmente bonita com cores muito vibrantes.

    Obrigada pelas dicas!

  3. Catharina disse:

    Você poderia me dizer um pouco, sobre como é estacionar nas ruas de Varsovia?

    • Natalia Gibin disse:

      Oi Catharina, em Varsóvia eu apenas usei transporte público (ônibus e metrô de superfície) que eram bem práticos 🙂 Com carros infelizmente eu não sei nenhuma informação, vou ficar devendo essa. Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.