Lanzarote

O que fazer em Lanzarote, a Ilha de Fogo

Bem-vindo(a) à Lanzarote, Ilhas Canária. Viagem feita do dia 24 a 27/04/2017.

Você já sentiu que esteve no paraíso? Pergunta um pouco profunda para te dizer que eu encontrei o meu, se chama Lanzarote. E por que é tão especial assim? Eu vou te contar nos tópicos abaixo porque a Ilha de Fogo é o meu cantinho nesse mundão. Você vai ver lugares incríveis que a natureza criou e a cultura dos habitantes desse lugar. Vem comigo!

No vídeo abaixo você terá uma melhor visualização da atmosfera de Lanzarote.

Informações Gerais

Não é a primeira vez que você vê as Ilhas Canárias no blog De Pira para o Mundo. Justamente o primeiro post foi de La Gomera, outra ilha do arquipélago canário. Lanzarote é uma das que compõem esse conjunto de ilhas espanholas no Oceano Atlântico, perto do Marrocos.

País: Espanha; Meio de transporte: avião; Moeda local: euro; Idioma: espanhol; Hospedagem: Airbnb (clique aqui)

O apartamento do Airbnb que eu me hospedei estava perfeito (link no quadro acima), camas boas e tudo muito limpo! Super recomendo e o dono da casa era um espanhol muito simpático. O voo para Lanzarote partiu da ilha de Gran Canária (também nas Ilhas Canárias) e custou €40,00 ida e volta com a companhia Canary Fly. Há também voos diretos com a Ryanair desde Alemanha, Bélgica e outros países europeus. Entre as ilhas é possível viajar em barco, mas uma vez eu fiz e passei muito mal.

O que fazer em Lanzarote?

Nos tópicos abaixo vou te mostrar as coisas legais que tem pra fazer na ilha de Lanzarote. Aqui quero deixar uma informação importantíssima: algumas atrações você pode comprar em combo, que é um bônus que sai mais barato. Aqui você tem as opções, que são combinações de 3, 4 ou 6 centros para visitar. E como comprar esses bônus? É bem simples, no primeiro lugar que você entrar já pede na bilheteria. Os quatros primeiros tópicos abaixo estão no bônus que eu escolhi. Eu visitei outros lugares na ilha que são gratuitos e ainda outros pagos que estão fora do combo.

Timanfaya

O Timanfaya é um Parque Nacional declarado em 9 de agosto de 1974 e é um típico exemplo de atividade vulcânica recente nas Ilhas Canárias. As imagens que eu vi nessa visita foram diferentes de tudo que eu tinha visitado até aquele momento. É realmente incrível. O parque é muito bem preservado porque teve uma lenta evolução natural e quase não foi alterado pela intervenção humana. O que você vai ver são manifestações e fenômenos geológicos de importante valor científico e estético, como os mares de lava, cones e tubos vulcânicos, jameos, hornitos, alterações geotérmicas, etc. Inesquecível!

A visita ao parque é feita dentro de um ônibus com vidros fechados para a melhor preservação do local. Os idiomas dos áudios são espanhol, inglês e alemão.
Apresentação antes de entrar no ônibus Visita ao parque dentro do ônibus

A origem do parque Timanfaya é o resultado de dois processos eruptivos, o primeiro de 1730 a 1736 que foi o mais longo e intenso e o segundo em 1824, que foi o último episodio eruptivo em Lanzarote. Essas erupções mais recentes do século XVIII afetou uma área de 195,2 km² surgindo cones vulcânicos associados a fraturas tectônicas.

Antes de entrar no parque ou quando você terminar a sua visita não deixe de ir ao Centro de Visitantes que fica a aproximadamente 5 km da entrada do Timanfaya. A visita é gratuita e lá você pode ver as explicações das atividades vulcânicas de Lanzarote detalhadamente.

Cueva de los Verdes

Eu disse que a minha visita ao Timanfaya foi incrível e sobre a Cueva de los Verdes (em português, Gruta de los Verdes) felizmente posso dizer o mesmo, que lugar lindo! A visita nesta gruta vulcânica é guiada em espanhol e inglês. O que você vai ver é a maior secção de lava do mundo, feito pelo vulcão de La Corona a mais 4.000 anos atrás, e de que também fazem parte Los Jameos del Agua (próximo tópico). Infelizmente não foi possível tirar muitas fotos porque é escuro e proibido o uso de flash.

Um pouco difícil captar as imagens Porém nessa você pode ver a água na caverna

No século XVII as grutas serviram de refúgio para a proteção da população contra os piratas e caçadores de escravos, e também para se esconder de um mal tempo. Em 1964 foi preparado um caminho de 2 km para receber os visitantes, mas no total são mais de 6 km. O artista Jesús Solto foi o grande responsável de fazer a iluminação interna da gruta para que os arqueólogos e espeleólogos pudessem realizar seu trabalho com segurança. Além de ser diretor técnico e artístico de Las Cuevas de los Verdes, ele foi importantíssimo em outros trabalhos pela ilha de Lanzarote.

Jameos del Agua

Igualmente que a Cueva de los Verdes, os Jameos del Agua estão no interior do túnel produzido pelo vulcão La Corona e mais perto da costa. O nome do local (‘jameo’ vocabulário de origem aborígene) se deve a existência de um lago interior concebido por uma formação geológica única: ele se origina por filtração e se encontra abaixo do nível do mar.

Área interna e externa

Não é possível falar de Jameos del Agua sem mencionar César Manrique, o seu criador. Esse lugar é o primeiro Centro de Arte, Cultura e Turismo criado por ele como representação da harmonia entre natureza e criação artística. É possível conhecer mais da vida desse homem visitando a Fundacíon César Manrique (€8,00) e a Casa-Museu (€10,00), mas eu não o fiz porque achei que visitar os lugares do meu bônus eram suficientes.

A visita aqui não tem guia, você recebe um papel na entrada com informações detalhadas no local. Há também eventos noturnos de terça-feira e sábado, mas sempre consulte a página oficial para horário de funcionamento.

Jardín de Cactus

Cactos fofos

No Jardín de Cactus você pode ver 450 espécies dessa planta vindos de todas as partes do mundo. Eu achei muito legal visitá-lo, mas confesso que fui porque estava incluso no bônus. Não compraria se fosse um bilhete individual, porque não acho que vale tanto a pena. Esse local foi o último espaço em que César Manrique colocou sua arte, transformando um lugar de pedreiras em um lugar tão especial. Obs: essa é a última atração do meu bônus que expliquei no começo do post.

Museo del Campesino

O Museo del Campesino (Museu do Camponês, em português) é um complexo que conta a vida do agricultor de Lanzarote, inspirado na referência da arquitetura tradicional com uma série de edifícios em cores brancos e detalhes verdes. Esse lugar é guardado pelo Monumento a la Fecundidad (foto acima) criado por César Manrique, que é uma escultura de 15 metros de altura e feito de antigos tanques de água de navios, objetos de ferro e concreto. O Monumento al Campesino está localizado na cidade de San Bartolomé, no centro geográfico da ilha.

Arquitetua tradicional de Lanzarote no Museo del Campesino
É grátis para visitar o Museu e o Monumento e o mais legal é que a partir das 11:00 eles tem workshop (€3,00 cada) de artesanato e culinária canária. Confira a programação no link🙂

Salinas de Janubio

As Salinas de Janubio é um dos engenhos de extração de sal de maior interesse mundial construído no final do século XIX. As salinas dispõem de uma lagoa de água do mar formada naturalmente a partir das erupções do Timafaya. Na foto você pode ver a lagoa e o conjunto geométrico que forma essa vista! É grátis o mirante das Salinas de Janubio e você encontra a localização no mapa do post.

Charco Verde

Gosotoso mais lundo do mundo

Mais uma magnífica imagem e grátis de visitar! El Charco verde, ou Lagoa Verde em português, tem essa cor maravilhosa devido ao tipo de alga da espécie Ruppia maritima que está no meu interior. O enxofre também é um elemento que integra essa alga. A lagoa foi formada pela sequências de erupções do ano de 1730 e, ao se fechar o cone (ver foto), é possível observar parte da cratera de um vulcão! É extremamente proibido nadar nela por motivos óbvios de conservação. Incrível não é? Por isso que eu amo essa ilha.

La Graciosa

A ilha La Graciosa é administrativamente dependente de Lanzarote e está localizada ao seu Noroeste. O mar que separa as duas ilhas é chamando El Rio (ver foto), o qual dá o nome do Mirador del Río em Lanzarote. O preço do mirante é €4,75 e pode ser também adquirido no bônus (eu não fiz essa opção, fiquei apenas com a vista do estacionamento).

Entrada do Mirador del Río em Lanzarote

Agora vamos falar de uma ilha muito especial que é a La Graciosa! Para chegar até ela é muito simples, você tem que ir até o porto em Lanzarote que fica em Órzola e pegar o barco de aproximadamente 30 minutos até Caleta del Sebo, em La Graciosa. O ticket de ida e volta custa €20,00 e é possível ver os horários aqui. Você pode dormir na ilha pois há pousadas e áreas de acampamento.

Uma dica muito legal é que em Órzola existe estacionamento pago e não pago, então preste bastante  atenção na hora de estacionar o carro em Lanzarote para não pagar, pois o estacionamento grátis fica uns 200 metros do porto, tudo muito perto!
Chegando com o barco em Caleta del Sebo, La Graciosa Desembarque em La Graciosa

Na cidade de Caleta del Sebo, não há muito o que fazer, há mercado e restaurantes. O esquema é chegar e partir para conhecer a ilha. Você pode fazer isso à pé, de bicicleta ou buggy (mas aqui tem o condutor, você não pode dirigi-lo). No mapa abaixo você pode ver quanto tempo demora cada opção e se a escolha for à pé sempre fique atento aos horários! Eu escolhi ir com a bicicleta (€10,00 o aluguel do dia) e conseguir fazer todo o caminho do norte da ilha e também fui até a Playa Francesa no sul.

Clique na foto para aumentar!
Lembre-se de levar protetor solar e bastante água 🙂 A comida para o dia eu comprei ainda em Lanzarote porque não queria perder tempo em La Graciosa. Se você não levou tudo bem, é possível comprar na cidadezinha de Caleta del Sebo.
Norte da ilha de La Graciosa

Onde comer em Lanzarote?

O restaurante La Aulaga Casa Felix que fica na Costa Teguise, muito perto no meu Airbnb, é excelente. É um restaurante típico canário e frequentado por pessoas locais. Os donos do restaurante são muito simpáticos e se você não conhece a culinária local eles podem te dar muitas dicas 🙂 As tapas que pedi foram: papas bravas (€3,00), croquetas (€3,00), champiñones, chorizo e alguma carne que não me lembro qual era. Infelizmente não lembro o preço de tudo, mas não era um lugar caro.

Deliciosas tapas no restaurante La Aulaga Casa Felix

Se você tem alguma dúvida ou já visitou esse lugare por favor deixe nos comentários. Marque #depira na suas fotos do Instagram para que eu possa vê-las 🙂

Eu vejo você na próxima aventura!
Natalia

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.