Cracóvia (Kraków)

O que fazer em Cracóvia: um roteiro simples

Catedral de Wawel (Wawel Cathedral)

Você conhece alguma cidade da Polônia? Cracóvia foi a primeira que conheci depois da visita ao Museu Estatal Auschwitz-Bikernau!

As informações de hospedagem, passagem e como chegar ao centro da cidade de Cracóvia estão no post Auschwitz-Bikernau. Assim, eu iniciarei diretamente as dicas que tenho sobre essa cidade 🙂

Sobre Cracóvia

Cracóvia é muito especial porque foi a primeira capital do país, de 1040 a 1596, e o seu centro histórico foi um dos menos destruídos pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Outra particularidade é ver por ali vestígios de construções da Idade Média! Por esses e muitos outros motivos em 1978 Cracóvia entrou na lista de Patrimônio da UNESCO. Também é considerada uma das cidades mais bonitas da Europa com seu mais rico complexo de monumentos históricos do país. Eu acredito que em poucas linhas já te convenci que Cracóvia vale a pena a visita, não é mesmo?

A movimentada rua ul. Florianska no centro histórico

Free walking tour em Cracóvia

É a primeira vez que eu falo de free walking tour aqui no blog e o utilizo desde 2013 porque eu gosto muito da proposta dele!

A tradução seria ‘passeio à pé gratuito” e você caminha pela cidade com um guia conhecendo sua história e principais pontos turísticos. No fim do passeio você paga ao guia a quantia que você acha que aquele tour merece. É importante você saber que você não vai entrar em nenhum ponto turístico, porque os guias não são autorizados a isso, mas você vai saber toda a história sobre aquele lugar e mais curiosidades que não tem em um tour normal.

Eu quero também deixar aqui registrado que algumas cidades do Brasil há o free walking tour. Eu fiz em São Paulo, em inglês, e é muito bom!

Voltando para a Polônia vou deixar aqui o site do free walking tour nesse país. As cidades polonesas que tem esse serviço são Cracóvia, Breslávia, Varsóvia, Poznań e Gdańsk. No site tem todas as opções de tour e você pode fazer a seleção dos quais mais te agrada. E fiz o tour em inglês, mas tem também em espanhol e alguns em italiano. Abaixo segue umas fotos do tour “Cracóvia cidade velha” (“old town Krákow“).

Portão de São Florino (Brama Floriańska w Krakowie).
Torre de granito vermelha (material conhecido na época como ‘pedra selvagem’)
do século XIV que dava acesso a cidade velha.
Pode-se observa os vestígios das antigas muralhas usadas contra os ataques turcos.
Marco do chão marcado Sukiennice.
Ele foi construído entre os séculos XIII e XIV em estilo gótico,
porém após um incêndio no século XVII foi reformado em estilo renascentista.

Dentro do mercado Sukiennice você encontra lojas de artesanatos e lembrancinhas (souvenirs) mais caros da cidade. O nosso guia nos alertou sobre isso, pois ele se encontra no meio da Praça Maior (Rynek Glówny) de Cracóvia. Essa praça foi construída em 1257 e com seus 40.000 m² é uma das maiores praças da Europa. Ao longo dos séculos foi local ocupado pelos comerciantes e onde aconteciam importantes cerimônias. Infelizmente também foi palco para torturas e mais tarde durante a ocupação nazista seu nome foi trocado para Adolf Hitler.

Praça Maior (Rynek Glówny)
Obra do artista polonês Igor Mitoraj que se chama Eros Bound.
Tornou-se atração turística no sudoeste da Praça Maior,
mas sofreu forte resistência de historiadores e críticos da arte.

Complexo Wawel

O Complexo Wawel se localiza no morro no final da rua ul. Grodzka e fica super perto do centro. Ali estão muitas atrações importantes da cidade, entre eles o castelo e a catedral. Eu e minhas amigas escolhemos a Catedral, a Caverna do Dragão e a exibição Wawel Perdido (Lost Wawel) para conhecer.

Castelo Real de Wawel

Para visitar apenas o interior da Catedral de Wawel é grátis. A parte paga é a torre e o museu, que gusta 12 zlótis (≈ €3,00) e aqui está a página oficial para você saber mais informações. A Catedral de Wawel do século XIV tem sua divertida particularidade porque em seu exterior você pode ver uma mescla dos estilos góticos e romanesco, exibindo vários estilos de artistas italianos. Foi aqui que em 2 de novembro de 1946 o Papa João Paulo II celebrou sua primeira missa como padre e foi em Cracóvia que ele viveu grande parte de sua vida.

Catedral de Wawel (Wawel Cathedral)
Interior da torre Vista de Cracóvia desde a Torre

Às segundas-ferias a caverna do Dragão, a exibição de Wawel Perdido e outras atrações do Complexo Wawel (menos a Cateral) são de graça! Aqui estão as atrações que você pode visitar ali e se possível reserve a segunda-feira para fazer isso!

A exibição de Wawel Perdido contém elementos arquitetônicos de vários períodos, modelos de edifícios e objetos descobertos em escavações. Minha parte favorita foi uma sala que é dedicada à coleção de telhas renascentistas de Wawel, lindo demais. O próprio local da exibição já é interessante, pois está em um sítio arqueológico que foi escavado e reconstruído entre 1917-1918. Eu não tenho fotografias porque é proibido nesse local.

A última atração que eu entrei no Complexo Wawel foi a Caverna do Dragão (Smocza Jama) que está situado abaixo do castelo de Wawel. A sua formação é de 25 milhões de anos, mas apenas no século XVI ela foi descoberta e serviu como bordel, armazém e resistência. Segundo a Lenda, ali morava um dragão que foi morto por um sapateiro. Por sua coragem ele se casou com a filha do rei e construiu seu próprio castelo, onde se desenvolveu a cidade de Cracóvia.

Interior da caverna Eu e o dragão!
Dragão, a atração da criançada

O bairro judeu Kazinierz e a Fábrica de Schindler

O freewalking tour também oferece a Cracóvia judia (jewish krakow) e um outro tour que se chama A fábrica de Shindler (Schindler’s factory). Esse último é pago antecipadamente.  Se você não tem nem ideia do que eu estou falando, eu explicarei sucintamente sobre o bairro judeu. Sobre Oscar Schinder eu recomendo que você leia o livro ou assista o filme A Lista de Schindler. Infelizmente eu não tive tempo de fazer esses tours, eu apenas passei pelo bairro judeu. Se você tem mais tempo seria uma grande oportunidade.

Um pouco antes da Segunda Guerra Mundial viviam no bairro de Kazinierz em Cracóvia a maior comunidade judia da Polônia, mais de 70 mil pessoas. Logo no início da guerra os nazistas tiraram os judeus de suas casas e os confinaram no gueto do outro lado do rio Wisla, no subúrbio de Podgórze. As famílias judaicas passaram a viver isoladas e prisioneiras em um lugar com muros altos e apartamentos lotados. Apenas dois destinos tinham os judeus que viviam no gueto, ou morriam em execuções ou eram transferidos para o trabalho forçado nos campos de concentração. O gueto de Cracóvia foi fechado em 1943 e muito dele foi preservado porque os judeus que ali viveram não enfrentaram os nazistas, como aconteceu na capital Varsóvia.

Antiga Sinagoga, hoje é museu Banco memorial Jan Karski
Casa onde nasceu Helena Rubinstein

Helena Rubinstein (1870 – 1965) , nascida em Cracóvia, foi uma grande empresária e cosmetóloga do século XX. Criou e fabricou cosméticos, tornado-se uma das mulheres mais ricas do mundo. Vou deixar um link para você saber mais sobre a vida de Helena. Sobre Jan Karski eu falarei no post de Varsóvia.

Restaurantes e bares em Cracóvia

Eu gostei muito da comida polaca! Em geral eu gostei de todos os restaurantes que eu fui nessa viagem e abaixo deixarei os que experimentei em Cracóvia que são: dois restaurantes, um mercado e um bar!

Bar Pijalnia – wódki i piwa

Preste atenção nos bares ‘pega turista’, se uma dose de vodka for mais que 4 zlótis (≈ €1,00), procure outro bar! Esse que indico era onde pessoas locais vão e no centro, fica na rua ul. Świętego Jana 3-5. É uma rede de bares e você pode encontrar em outros pontos de Cracóvia ou em outras cidades da Polônia. A dose de vodka é 4 zlótis.

Entrada do bar Eu nunca tinha visto tanta opção de vodka

Retaurante Polakowski

Esse foi indicação do guia do frewalking tour e gostei bastante! O endereço é ul. Midowa 39. Nós fomos perto da hora do almoço e era perfeito para a ocasião porque é um restaurante rápido, em estilo self-service do Brasil, porém aqui quem coloca a comida no prato era a mulher do caixa. O pedido foi 1 sopa, 2 pratos principais, 1 sobremesa e 1 suco, totalizando 44,20 zlótis (≈ €10,88). Foi muito barato e a comida muito boa! Tudo mostrado nas fotos abaixo foi dividido entre nós 3.

sopa Barszcz e a direita Grzybowy Golabki – couve recheada
Pierogi, mas esses são na versão doce

O pierogi é um dos pratos mais famosos polaco, aqui resolvemos provar o doce, mas o tradicional é salgado e com várias opções de recheio. Os nomes que estão nas fotos podem não estar completos, mas é muito fácil de ver eles no restaurante. A língua polaca é muito difícil, mas ai estão os pratos pra você ter uma ideia! E não se preocupe que o pessoal que trabalha ali fala inglês.

Restaurante Starka

Esse foi recomendação da minha amiga espanhola que estava na viagem, muito bom! Ele fica no bairro judeu na rua ul. Józefa 14. Infelizmente o preço exato com bebida eu não sei porque esqueci de guardar a notinha, mas aqui está a página oficial deles e tem menu em inglês com o preço. Vou deixar o valor de cada prato na foto abaixo com o nome do menu em inglês. Todo o pedido das fotos abaixo também foi dividido entre nós 3.

Spicy Goulash Soup, 22 zlótis (sopa) Salad with Grilled Salmon, 33 zlótis (salada com salmão)
Boneless Pork Knuckle half 29 zlótis/ ig 37 zlótis (joelho de porco)

O último prato eu não lembro se a gente pegou meio ou o grande, eu tenho quase certeza que é o grande. Esse restaurante não era só de comida polaca, foi uma mistura de cultura, por exemplo a sopa é húngara. A soma de todos os pratos foi de 92 zlótis, o que é aproximadamente € 23,00.

Praça plac Nowy

A praça plac Nowy está localizada no antigo bairro judeu Kazimierz e foi onde eu comi Zapiekanki, que é uma baguete cortada ao meio que você pode escolher o que vai por cima. Vários quiosques vendem essa comida, alguns possuem a meia porção.

Tabela com várias opções (clique na foto) Zapiekanki, esse custou 7 zlótis (≈ €2,25)
Quiosques na plac Nowy

A cotação de zlótis para euro que eu usei foi da época da viagem (maio/junho de 2017), então vale a pena dar uma pesquisada antes de ir! Para saber mais sobre a moeda polaca acesse meu post de Auschwitz-Bikernau.

Se você tem alguma dúvida, sugestão ou já foi para Cracóvia, por favor deixe abaixo nos comentários 🙂

Eu vejo você na próxima aventura!
Natalia

 

4 responses to “Cracóvia (Kraków)”

  1. Post excelente!
    Muitas fotos, bem ilustrativoz
    Ótimas histórias.
    Deve ter sido uma viagem p ficar na memória .

  2. Bruna says:

    super legal Naty! Adorei o post!
    Essa parte histórica é bem importante nos blogs.
    E colocar o preço das coisas também! ajuda um monte na hora de planejar.
    beijos! continue contando suas aventuras pra gente!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *