Breslávia

Dicas de Breslávia, a cidade da Polônia que me encantou

Breslávia ganhou meu coração porque foi a cidade que eu mais gostei de visitar na Polônia! Nos tópicos abaixo eu vou explicar porque essa cidade foi tão especial 🙂 As informações sobre o clima e a moeda usada na Polônia estão no post de Auschwitz-Birkenau e também já contei tudo sobre a cidade de Cracóvia e Varsóvia.

Como chegar e hospedagem em Breslávia?

Eu fui para Breslávia de ônibus desde Cracóvia com a empresa PolskiBus.com.. Acessando o site deles você pode ver todos os horários e preços. A minha dica é comprar a passagem antecipadamente pelo site porque na hora é mais caro. Preste atenção também que cada horário tem um preço.

O ônibus sai de Cracóvia da estação central (Kraków bus station) que fica do lado da estação central de trem. Ao chegar em Breslávia o ônibus não te deixa no centro, mas do lado de uma estação de tram. Então para chegar ao centro pegue o tram número 15 com direção à POŚWIĘTNE e desça na parada Rynec.

Em Breslávia eu não tive problema com o Booking.com, que fez dois erros nessa viagem (confira em  Auschwitz-Birkenau e Varsóvia). Aqui o hostel foi o Centrum Hostel, na rua ul. Św. Mikołaja 16/17 (1 piętro). Nós alugamos um quarto para 3 pessoas com banheiro compartilhado. O quarto estava bom, com cama confortável e tolha para os hóspedes, mas o chuveiro era ruim, que sozinho mudava da água muito fria para fervendo.

O hostel fica a 2 quarterões da Praça Maior Rynek

Um pouco da história de Breslávia

Breslávia foi conhecida no passado como a Veneza do Norte, por sua posição às margens do Rio Oder e suas pontes que dão beleza à cidade (hoje são aproximadamente 120). O nome polaco Wroclaw (Breslávia) vem de uma lenda que diz que havia um duque chamado Wrocislaw, morador o povoado na ilha da catedral, Ostrów Tumski. Assim, em 990 esse povoado foi conquistado por Mieszko I, fundador do Estado polaco.

Na Idade Média, Breslávia foi associada a Liga Hanseática (aliança de cidades mercantis) e ao longo de sua história pertenceu a Polônia, Bohemia, Austria, Pruscia e Alemanha. Por isso a cidade é hoje centro cultural da baixa Silésia, onde acontecem muitos festivais de música, teatros e eventos. Além disso, possui dezenas de museus, galerias e instituições de arte. Ao andar pela cidade é possível notar seu ar jovial, pois aproximadamente 140.000 alunos estudam nas escolas de ensino superior.

Rio Oder Ilha Ostrów Tumski

Free Walking tour em Breslávia

Toda a explicação de como funciona o free walking tour está no post de Cracóvia. Em Breslávia eu fiz o “Breslávia cidade velha” (old town Wroclaw) e a “Segunda Guerra Mundial e Breslávia judia” (word war II & jewish Wroclaw). As opções de idiomas desses tour são em inglês e alemão. Infelizmente eu não consegui fazer o tour dos “gnomos de Breslávia” (dwarfs of Wroclaw), mas eu falarei deles em breve. Eu gostei muito dos dois tours e apendi muito sobre história. Assim, baixo você verá alguns dos lugares que conheci.

Praça Maior Rynek

Edifícios da Praça Maior Rynek

A Rynek é a segunda maior praça da Polônia, a maior fica em Cracóvia. A sua forma atual vem de 1242, após a invasão dos mongóis. Após a Segunda Guerra Mundial, muitos edifícios e casas foram reconstruídas. Contudo, uma das histórias que eu achei mais interessante é que a Baixa Silésia e Breslávia eram conhecidas por sua grande quantidade de cervejarias. Por esse motivo, na Praça Maior está a famosa Piwnica Swidnicka, que com seus mais de 700 anos é provavelmente a mais antiga da Europa.

Entretanto o edifício mais feio foi o qual mais me chamou a atenção. Infelizmente eu esqueci de tirar foto, mas eu tenho certeza que você o verá quando estiver ali. É um edifício que fica na esquina da parte oeste da praça. Ele foi construído entre os anos 1929 e 1931 numa tentativa de modernização da cidade. Felizmente essa ideia não conseguiu avançar com outras construções. Hoje esse lugar abriga um banco municipal.

Stare Jatki

Monumento “em honra aos animais do matadeiro”

Na rua Stare Jatki está o monumento “em honra aos animais ao matadeiro”, proposta do artista Piotr Wieczorek. No século XIII esse era o local de pontos de vendas de carne. Todavia no Século XIX os açougueiros perderam o monopólio da rua que passou a vender outros produtos pelos comerciantes. Hoje você encontra nessa rua lindas galerias de arte.

Universidade de Wroclaw

Universidade de Wroclaw

O edifício da Universidade de Wroclaw que você vê nas fotos acima é o da sede principal das autoridades da escola e pode ser visitado. Entretanto a sua melhor vista está na fachada de 171 metros de longitude que se vê desde o Rio Oder. Antes da Universidade se encontrava ali um castelo medieval, originado da segunda metade do século XIII. Depois de Segunda Guerra Mundial o edifício foi destruído e tomado por um grupo de eruditos polacos que retomaram as classes em novembro de 1945. Desse modo, hoje mais de 40.000 estudantes fazem parte das dez faculdades da Universidade de Wroclaw. Os outros edifícios você pode ver caminhando pela cidade.

O mercado coberto

Mercado

O mercado de Breslávia foi construído em 1908 no lugar do demolido edifício no qual desde 1523 se guardavam armas. É um dos mercados cobertos construído para acabar com os mercados ao ar livre da cidade no início do século XX. Esse mercado em especial ganhou meu coração porque aqui tem a loja do barista que é campeão mundial! Assim, para os amantes de café é parada obrigatória. Ele fica ao fundo do mercado ao lado esquerdo, se chama Cafe Targowa. Essa foi uma das minhas melhores descobertas nessa cidade, a segunda virá em breve 🙂

Pessoa feliz no Cafe Targowa

Catedral de São João Batista

Vista desde a torre da Catedral

Na Catedral de São João Batista, que fica na ilha Ostrów Tumski, foi o ponto final de um dos free walkinhg tour. Eu já aproveitei para subir na torre porque o nosso guia nos disse que era a visão panorâmica que ele mais gostava. O ingresso custa 5 zlótis (≈ €1,25) e vale muito a pena!

Museu Pana Tadeusza


O Pana Tadeusza, que fica na Praça Maior Rynek, foi o único museu que eu visitei em Breslávia. Nele você vai encontrar exibições desde as tradições do romantismo polaco, a luta para liberdade e independência do país até a modernidade. Eu quero lembrar em que Breslávia tem muitos outros museus e atrações para visitar. Na Praça Maior Rynek tem um ponto de informação turística que você pode pegar um mapa e ver todas essas outras possibilidades.

Todo domingo o ingresso para o Museu Pana Tadeusza é apenas 1 zlóty (≈ €0,40). A tarifa normal é de 20 zlótis (≈ €5,00).

Os gnomos de Breslávia

Como eu disse anteriormente eu não consegui fazer o tour “gnomos de Breslávia” (dwarfs of Wroclaw), mas foi a diversão da viagem encontrá-los pela cidade. Em suma, os gnomos da cidade de Breslávia surgiram no início dos anos 80 como um símbolo de oposição ao comunismo. O grupo de estudantes de arte, chamado de Laranja Alternativa, pintava os gnomos quando a polícia comunista apagava das paredes qualquer slogan ou peça de arte anticomunista do grupo. Apenas em 2001 as esculturas apareceram em tributo a essa história de protesto da Laranja Alternativa e se tornaram um ícone da cidade. Desse modo, comerciantes locais passaram a ter sua versão encomendada e atualmente são mais de 400!

Onde comer em Breslávia

Chegou a hora de eu contar pra você a minha outra descoberta em Breslávia que fez essa cidade ganhar meu coração. Breslávia tem o melhor bar da Polônia, assim posso afirmar porque se você for em qualquer outro bar desse país não encontrá o charme que esse tem! Brincadeiras a parte, vou deixar aqui a dica desse bar, de dois restaurantes e uma sorveteria 🙂

Przedwojenna Bistro Bar

Przedwojenna Bistro Bar

O Przedwojenna Bistro Bar tem um ambiente antigo e toda sua decoração e móveis dá um toque especial. É um bar barato e ficar aberto 24 horas! Todas as bebidas custam 4 zlótis (≈ €1,00) e qualquer prato 8 zlótis (≈ €2,00). Eu e minhas amigas voltamos três vezes ao mesmo bar, acho que isso nunca tinha me ocorrido em uma viagem. Abaixo deixo as fotos do bar, de algumas comidas e bebidas e do menu na parede. O melhor é que o o Przedwojenna Bistro Bar ficava na rua do nosso hostel 🙂

Tartar e Gzik Galaret
O melhor menu! (clique nas fotos)

Restaurante Pierogarnia Stary Mlyn

Eu vi em alguns sites a indicação do Restaurante Pierogarnia Stary Mlyn que fica na Rynek, 26. Eles fazem pierogi assado que estava muito bom, mas eu não achei um restaurante sensacional. O recheio do pierogi você pode escolher, nós optamos para um prato que vinha um mix de sabores que custa 28,46 zlótis (≈ €7,11). Ele lembra um pastel assado do Brasil.

Restaurante Motyla Noga 

O restaurante Motyla Noga foi uma antiga prisão, pode-se ver isso quando o observamos externamente. O clima estava perfeito para sentar fora. Abaixo você vê apenas a foto de um prato (tartar) porque esqueci completamente da câmera e de anotar os preços, mas não era um restaurante caro.

Lody Roma

Lody Roma é de 1946, a sorveteria mais antiga de Breslávia. Ela fica na ul. Ludwika Rydygiera 5 no bairo Nadodrze, que tem Street Art (arte na rua). A sorveteria fica aberta das 11:00 às 19:00. Já aproveitamos para tomar sorvete e passear pelo bairroO free walking tour também oferece um passeio falando sobre o Street Art, mas infelizmente eu não tive tempo para fazê-lo.

Street Art
Lody Roma

Se você tem alguma dúvida ou sugestão dessa cidade por favor deixe nos comentários. Qualquer outra dica é muito bem-vinda. Marque #depira na suas fotos do Instagram para que eu possa vê-las 🙂

Eu vejo você na próxima aventura!
Natalia

4 responses to “Breslávia”

  1. Beatriz disse:

    Oi Natalia! To só passando pra agradecer pelas dicas, vou viajar pra Europa logo logo e o conteúdo daqui está sendo muito útil! Muito obrigada 🙂

  2. Valeria Bitu disse:

    Oi, Natalia!! Depois de amanhã estarei indo pra Breslávia. Adorei suas dicas. Com certeza serão úteis. 😊😊

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.