Budapeste em 4 dias

BUDAPESTE – 4 DIAS

Viagem feita entre 13/06/2016 e 18/06/2016.

Em junho desde ano tive a oportunidade de ir pela primeira vez ao leste europeu! Budapeste foi a cidade escolhida por minha amiga espanhola Galia, que já havia decidido o destino e depois eu resolvi me juntar a ela!

No título da postagem está escrito 4 dias, porém a viagem durou de 13 a 18 de junho!

Eu espero inspirar pessoas com minhas dicas e se você já visitou essa cidade me conte o que mais gostou nos comentários 🙂

Custo das passagens: No dia 13 meu voo saiu de Roterdã (Holanda) pela tarde e cheguei em Budapeste às 20:00! Eu paguei €27,00 por essa passagem, um ótimo preço e a companhia aérea foi a Transavia. A volta foi com a companhia Wizz e aterrizei no aeroporto de Eindhoven (Holanda) e o valor foi de €30,00! 

  • Com algumas companhias europeias mais baratas você não tem direito a despachar a mala! Você pode pagar se quiser, mas eu sempre viajo apenas com a mala de mão!

Hospedagem: nessa viagem usei o airbnb. É uma página onde pessoas alugam quartos da própria casa, apartamentos ou casas inteiras e geralmente são mais baratos que hotel ou hostel!
Eu e minha amiga alugamos um quarto do lado de Peste com uma ótima localização e o custo de cinco noites foi €48,00 euros cada! Aqui está o link do apartamento se você se interessar.

Para chegar do aeroporto até a cidade com transporte público é muito fácil! No próprio aeroporto você compra o ticket para o ônibus e para o metrô! Depois você pega o ônibus 200E e vai até a parada Köbánya-Kispest e ali pega a linha azul do metrô!

Mapa do metrô de Budapeste

Se você chegar de madrugada no aeroporto o transporte público não estará funcionando, porém há um serviço de transporte de mini ônibus que é mais barato que táxi! A minha amiga utilizou esse serviço porque ela chegou meia-noite no aeroporto de Budapeste.
Ela pagou 10 euros pela ida e o mini ônibus deixou ela na porta do prédio que alugamos. 

Aqui está o link se você também precisar do serviço noturno. E nesse outro link você pode ver todas as opções de ir do aeroporto até a cidade.

  • A moeda da Hungria é o florim húngaro e quando chegar no aeroporto não saque dinheiro ali porque o câmbio é muito ruim! Leve euro em dinheiro para sua viagem e troque na cidade que o preço é bem melhor! No aeroporto você pode comprar o ticket do ônibus/metrô com o cartão, não há necessidade de sacar ou trocar dinheiro já.
    Tem muitas casas de câmbio na cidade e super fácil de encontrá-las 🙂

Budapest Card: é um cartão turístico para conhecer a cidade e custa 31 euros o de 72 horas! Vale a pena? No meu caso sim porque eu fiquei na cidade mais que 72 horas e nele estava incluído o transporte público, museus, o banho termal, walking tour (passeio a pé pela cidade com um guia), etc. Existe também o cartão de 24 e o de 48 horas.

Para maiores informações sobre esse cartão acesse a página oficial.

Budapeste Card

DIA 1 – 14/06/2016

Programação do dia:
– Walking tour Peste (passeio a pé pela cidade com guia);
– Almoço no mercado com comida típica;
– Walking tour Buda (passeio a pé pela cidade com guia);
– Banho Termal;
– Jantar em restaurante (comida típica).

Eu achei que comprar o Budapest Card foi um ótima opção! No primeiro dia já usamos eles 4 vezes: com transporte público, 2 walking tours e o banho termal!

Nosso primeiro tour começou as 10:00 e o café da manhã já foi uma comida típica:

Kurtokalacs

Kurtokalacs é super fácil de achar e custa € 1,50 , é vendido em barraquinhas na rua e também nas estações de metrô. É uma massa assada e você escolhe o que vai grudar nele: açúcar com canela, chocolate, etc. 

Depois seguimos para o ponto de encontro do walking tour (que está no mapa que vem junto com o Budapest Card). Eu recomendo esse tour porque você conhece em duas horas e meia os principais pontos turísticos em Peste, aprende muito sobre história e já seleciona os lugares que você quer voltar para entrar conhecer (esse tour você caminha pela cidade e não entra nos edifícios ou museus).

Abaixo selecionei alguns pontos turísticos pelos quais passamos aquela manhã:

O Parlamento – nossa guia no centro, ah e o tour é em inglês

Mercado Bejaras

Esse não é o mercado central, mas fizemos uma pausa nesse lugar e tem várias opções de doces húngaros. É possível também fazer almoçar nesse mercado, mas nossa guia nos disse que é um pouco caro. 

Interior do Mercado Bejaras 

Troca de Guarda em frente ao parlamento que acontece às 12:30, porém se estiver chovendo não há.

Essa guia nos contou uma curiosidade sobre uma água de Budapeste com bons minerais que se chama Hunyadi János! Você encontra para comprar em farmácias e custa €1,00. O gosto é muito especial hahahhaha é ruim mas provei 🙂
Essa água foi encontrada numa planície regada pelo Rio Danúbio no bairro de Buda e contém sulfato de sódio e magnésio como principais agentes fisiológicos. Abaixo segue a foto da água:

                         

Hunyadi János

Almoço no Mercado Central – Ferencváros!
Aviso: CUIDADO ao pedir uma bebida em copo de vidro! Eles cobram pelo copo e depois você tem que devolvê-lo com a notinha para receber o dinheiro de volta!
O aviso é minúsculo, minha amiga viu por sorte no segundo dia que comemos ali, infelizmente no primeiro dia perdemos o dinheiro!

O Mercado é ponto turístico garantido para mim porque tem muita comida típica! Ele foi inaugurado em 1897 pelo primeiro prefeito de Budapeste, Karl Kamermayer. Infelizmente na Segunda Guerra Mundial ele foi muito destruído, porém restaurado e reaberto 🙂
No piso térreo você encontra bancas de frutas, verduras e alimentos típicos húngaros, açougue, especiarias, etc. No piso superior ficam os restaurantes, lojinhas de artesanato e também lembrancinhas!

Interior do mercado – Ferencváros

Essa foi a comida que pedi na primeira vez que almocei alí (olhar foto abaixo para o nome). Atenção: esses são os copos que falei que eles cobram!

Esse é o famoso Goulash! Vem carne, repolho roxo, verdura, molho, enfim, delícia!

Esse prato é suficiente para duas pessoas! Cuidado, no mercado um prato vem muuuuita comida! Eu aconselho que você olhe os pratos que eles preparam pelo vidro e decidir (é possível ver a cozinha da onde você faz o pedido)!

Depois do almoço seguimos para outro tour, o de Buda!

Aqui está a nossa outra guia (a mulher de frente). Esse tour também é em inglês e está incluso no Budapest Card! 

Lindo os telhados, é um material húngaro!

Praça interior do Castelo de Buda!

O Castelo de Buda é lindo e enorme, tem 4,73 km²! No século XVI ele foi destruído durante a ocupação Otomana e reconstruído totalmente en 1769.

Vista do maravilhoso Rio Danúbio! É o segundo mais longo da Europa com 2860 Km de extensão. Ele nasce na Alemanha e passa por 9 países, desaguando no Mar Morto (Romênia).

Depois de muito caminhar durante o dia nós fomos para os Banho Termais! Existem muitos em Budapeste, nós visitamos o qual estava incluso no Budapest Card, o St. Lukács Thermal Bath and Swimming Pools . Esse não é o mais famoso, porém super relaxante!

As termas de Budapeste tem uma longa história! Bem resumido elas começaram com os romanos tanto para uso particular quanto público, porém entre os séculos VXI e XVII os turcos ocuparam grande parte da Hungria e construíram lindas termas que faziam parte da vida social turca e algumas delas funcionam até hoje.
Um pergunta que me fiz foi: da onde vem tanta água? Encontrei na Internet essa explicação e achei muito interessante:

Budapeste tem 123 fontes termais e 400 fontes de água salobra, das quais jorram cerca de 70 milhões de litros de água por dia. De onde vem toda essa água? A reposta está na formação geológica da região.
O rio Danúbio passa por Budapeste e separa as colinas de Buda, na margem oeste, das planícies de Peste, na margem leste. Num passado distante, o mar cobriu essa região, depositando calcário e dolomita. Essas rochas foram cobertas por camadas de argila, marga (calcário argiloso), areia e carvão.Rachaduras na superfície da terra permitem que a água da chuva penetre fundo no solo, onde rochas quentes, ricas em minerais, a aquecem. Sob pressão e superaquecida, essa água é expelida de volta à superfície através de rachaduras ou fontes.Esse fenômeno geológico ocorre, não só em Budapeste, mas também em toda a Hungria. Assim, pessoas de muitos lugares do país orgulham-se dessas águas ricas em minerais e das belas termas, que, segundo alguns acreditam, têm propriedades medicinais e curativas.”
*http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/102008090

O jantar foi num restaurante muito bom e a comida era boa e barata! Ele não se localiza em uma rua movimentada (geralmente aí ficam os restaurantes mais caros), porém o restaurante em si só é super fofo, comida deliciosa e tudo que eu queria: típico húngaro!
Ele se chama Ruben e aqui nesse link você encontra o menu do restaurante e na última página o endereço.

Entrada do restaurante Ruben

Cerveja húngara: Soproní

Entrada: Sopa goulash – Spicy beef goulash (nome do cardápio)

Prato principal: Töltött Káposzta, é um repolho e de recheio carne moída! Estava sensacional!

Dia 2 – 15/06/2016

Programação do dia:
– Padaria Gerbeaud;
– Galeria Nacional da Hungria;
Museu de História de Budapeste;
– Almoço no Mercado Central;
– Grande Sinagoga de Budapeste;
– Passeio de barco pelo Rio Danúbio;
– Memorial “Sapatos no Danúbio”;
– Restaurante Hummus Bar.

O segundo dia começou muito bem! Nós tomamos café da amanhã na famosa e antiga padaria e confeitaria Gerbeaud.

Para chegar na Gerbeaud é só pegar a linha amarela e descer na parada Vörösmarty tér!

O interior é lindo, parece um castelo! 

Isso foi o que pedimos: 2 cafés, o pão da direita se chama Háromsajtos pogácsa (mais ou menos um pão com queijo) e a torta da esquerda se chama Gerbeaud szelet (que em português se chama bolo Gerbeaud)

Essa padaria foi fundada 1858 por Henrik Kugler e o nome da padaria veio de Emil Gerbeaud, um homem que se tornou sócio de Henrik em 1882.
Com a morte de Gerbeaud em 1919 a loja foi dirigida por sua mulher até 1940.
Em 1995 a padaria e confeitaria foi comprada por um alemão chamado Erwin Franz Müller que manteve o nome desde a época de seus fundadores.

Eu achei muito interessante conhecer-la porque é linda e eu gosto muito da história que ela tem, porém é um dos mais tradicionais cafés da Europa e consequentemente caro. Tudo que está na foto deu aproximadamente €18,00, há quem acha o preço ok, mas eu acho muito.

Depois seguimos para o lado de Buda, esse dia usamos o Budapest Card para museus 😉

O primeiro foi a Galeria Nacional da Hungria e o segundo o Museu de História de Budapeste, ambos eram entrada grátis com o Budapest Card e também aproveitamos para tirar foto da região de Buda.

Entrada da Galeria Nacional da Hungria

Foto desde uma janela da Galeria Nacional da Hungria 

Entrada do  Museu de História de Budapeste

Mais fotos desses telhados lindos!

Na parte da manhã conhecemos esses dois lugares e depois voltamos para o lado de Peste para almoçar novamente no Mercado Central – Ferencváros.
Escolhemos outra comida típica que é o Lángos! É uma massa leve e por cima o que você mais gostar. O mais tradicional é o de queijo que mostrarei no dia 4 .

Lángos: mais uma vez dividimos porque um era suficiente para duas pessoas

Á tarde nós visitamos a Grande Sinagoga de Budapeste, Dohány utcai zsinagóga em húngaro, que durante a II Guerra Mundial sofreu muitos danos, mas foi recuperada e é onde judeus de Budapeste e de todo o mundo se reúnem regularmente.
Para entrar na Sinagoga você tem um desconto com o Budapeste Card e fica aproximadamente €6,50.
No ambiente externo você pode visitar o Monumento aos Mártires Judeus da Hungria. Durante a II Guerra Mundial mais de 533 mil judeos húngaros foram exterminados em campos de concentração em toda a Europa e na Hungria viviam muitos deles durante esse período. Então se você gosta do assunto e quer entender um pouco mais o que aconteceu, Budapeste será muito interessante para você!

Interior da Sinagoga

Monumento aos Mártires Judeus da Hungria

Detalhe do Monumento

Após a visita à Sinagoga fizemos o passeio de barco que estava incluso no Budapeste Card. Na verdade com esse cartão você pode usar os barcos como meio de transporte e aproveitamos para fazer um passeio.
Se você quiser fazer um tipo de passeio com barco mais específico há muitas opções: com áudio guia explicando um pouco dos monumentos que você vê através do barco; passeio com jantar incluso; passeio com jantar e música…
Enfim, para todos os gostos.
Para quem escolher fazer igual a gente cuidado com os horários do barco de transporte público, pois são poucos os horários. Nós pegamos o último do dia e era 19:30.

Local onde subimos no barco

O barco

Vista do barco – Parlamento

Depois do barco fomos em direção ao Parlamento porque muito perto dali fica o memorial dos “Sapatos no Danúbio”, às margens do rio.
Esses sapatos são memoráveis aos judeus assassinadas a tiro e jogados no Danúbio entre 1944 e 1945. Antes de morrerem eles tinham que tirar o sapatos e deixá-los nesse local  e os corpos eram atirados para o rio com a justificativas que deviam ser ‘limpos’ após a morte.

Anoitecer no Rio Danúbio

Memorial “sapatos no Danúbio”

Por último o jantar! Essa noite fomos a um restaurante de comida árabe, chamado Hummus BarInfelizmente não tenho nenhuma foto da comida, mas estava ótima, o preço era muito bom e também a localização era perfeita porque é no centro de Peste. 

Dia 3 – 16/06/2016

Programação do dia
– City Park ;
– Museu Nacional da Hungria;
– Almoço “fast food” húngaro;
– Visita ao Parlamento;
– Jantar restaurante árabe;
– Teatro Budai Vigadó

Pela manhã do dia 3 passeamos pelo City Park, Városliget em húngaro e tiramos algumas fotos. Ali se encontram muitas atrações, como museus, a ‘heroes square’ (praça dos heróis), a estátua do Anônimo, mais um banhos termais de Budapeste, etc.
Quando passamos pela praça do heróis estava tendo um ensaio de teatro e não deu para tirar fotos boas. Essa praça reúne estátuas de bronze de 14 líderes húngaros que foram importantes na luta “pela liberdade de nosso povo e nossa independência”. É bem bonito o local, recomendo a visita.

Tentativa de tirar foto da praça dos heróis

Segunda tentativa de tirar foto da praça dos heróis

Banco fofo no City Park

Estátua do Anônimo

Essa estátua é em homenagem a um famoso escrivão do rei, pois ele deixou muitos registros da história popular húngara. Quando ele escrevia não deixava assinatura em seus papéis e assim não se sabe quem ele foi.
É um poco assustadora essa estátua porque quando você chega perto pode-se ver que ele não tem olhos.

Ainda antes do almoço, nós fomos também ao Museu Nacional da Hungria que também estava incluso no Budapeste Card. 

Entrada do Museu Nacional da Hungria

Roupa legal 🙂

O almoço foi rápido e uma boa opção de fast food húngaro (eu e minha amiga colocamos esse nome). Ele fica localizado no centro do lado de Peste e chama-se Duran.
Há mais unidades dele pela cidade, nós fomos no da rua Október 6. u. 15, Budatest, 1051 Hungria.

O nome do lugar – Szendvics Duran

São vários pãozinhos com algum recheio por cima – eles custam de €0,80 a €1 cada

Depois da comidinha rápida e gostosa fomos para o Parlamento! Infelizmente lá o Budapest Card não vale nem pra desconto!
Na hora da compra do ingresso eu falei que era espanhola! Fiquei muito decepcionada com esse método de ingressos do Parlamento porque não europeus pagam mais!!! Enfim…como eu e minha amiga estávamos falando em espanhol (ela é espanhola), aproveitamos a situação já que eles não pediram documentos.
O preço para europeus era de aproximadamente €7,50 e para não europeus €17,00! 🙁
Se você pagar €7,50 tudo bem, mas €17,00 eu acho que não vale a pena, já que dentro você pode visitar poucas áreas. Essa é a minha opinião, talvez seja o seu sonho entrar nesse Parlamento…
Nós compramos os ingressos no dia, mas também é possível comprar on-line.

Interior do Parlamento

Interior do Parlamento

À noite fomos a um teatro do lado de Buda para assistir ao folclore húngaro. Foi um grande show da dança do país através do tempo! O teatro chama-se Budai Vigadó e nós compramos o ingresso com o pessoal da informação turística que fica por vários pontos da cidade. É possível também comprar aqui!

Teatro Budai Vigadó

Dia 4 – 17/06/2016

Programação do dia:
– Subida a cúpula da Basílica de São Estevão (Bazilikaa Szent Istvám) para uma vista panorámica;
– Cidadezinha a 15 Km de Budapeste – Szentendre;
– Jantar em restaurante, pato como prato principal

O primeiro passeio do dia foi subir na Basílica de Santo Estevão para uma vista panorâmica de Budapeste. O valor para a entrada é de 2 euros, mas para apenas visitar a Basílica a entrada é livre. e nessa parte livre você também pode ver relíquia da mão de Santo Estevão, que foi o primeiro rei cristão do país.

39Vista da Basílica

Vista da Basílica

Relíquia de Santo Estevão

Saindo da Basílica fomos para a estação de trem/metrô Batthyány tér. Nosso destino daquela tarde foi uma cidadezinha a 15 Km de Budapeste: Szentendre.

Na rua principal do centro da cidade tem uma informação turística, lá você pode pegar um mapa da cidade e decidir o que você deseja fazer por ali.
Szentendre é muito fofa e fica às margens do Rio Danúbio. Nós escolhemos caminhar um pouco pela cidade, comer um Lángos, tomar café, tudo muito tranquilo.

O trem que vai para Szentendre, o valor do trecho de 15km é de €1,50, barato demais!

A estação

Rua principal do centro da cidade

Fábrica de Marcipán – é possível fazer um tour, nós optamos por apenas conhecer a loja

Loja da fábrica

Depois comi meu Marcipán com um café 🙂
O valor de 1 unidade era aproximadamente €1,50

Lugar caseiro de comer Lángos, é bem no centro, bem fácil de achar

Langós tradicional, aqui está a metade porque nós dividimos

No fim da tarde voltamos para Budapeste e para o jantar comemos outro prato típico: pato. O restaurante escolhido foi o Elsö Pesti Rétesház e é também no centro do lado de Peste, muito bem localizado, comida deliciosa, e o total para duas pessoas deu aproximadamente €35,00.
A bebida que escolhemos se chama Fröccs, é uma bebida típica feita de soda com vinho. Não achei tão interessante o sabor, mas se você já leu outras postagens que fiz sabe que se é típico eu provo!
Esse lugar é especializado em Strudel, e essa foi a nossa sobremesa 🙂

Infelizmente esqueci de tirar foto do prato principal, mas aqui está a sobremesa: Strudel

Depois dessa comida maravilhosa fomos tomar uma cerveja no famoso Pub Ruína no bairro judeo Erzsébe Tváros.
Aqui já vai uma dica: chegue cedo! Era uma sexta-feira, então dia que bares estão mais cheios! Nós chegamos às 22:00 e estava tranquilo para entrar, porém dentro já estava cheio. Quando saímos às 0:00 estava com uma fila enorme e entrando poucas pessoas porque dentro já estava lotado!!!
O pub ruína é um lugar interessante porque parece um prédio meio em reforma e dentro há vários bares. É interessante entrar lá durante o dia porque você consegue ver os detalhes exóticos e tem dias também que acontecem feiras artesanais.

Ruin pubs – lugar interessante!

Budapeste superou minha expectativa! Bom começo para a minha primeira ida ao Leste Europeu! Abaixo segue um pequeno video que fiz com algumas imagens!

Se você tem alguma pergunta, por favor deixe nós comentários! Adorarei ajudá-lo se você pretende ir a esse destino!

Vejo vocês na próxima aventura!
Natalia


2 responses to “Budapeste em 4 dias”

  1. Danilo Lopes says:

    Eu amei a maneira como você descreveu a sua viagem, as dicas são sensacionais. Quero muito viajar e conhecer outros lugares, e espero poder essa mesma visão que você.
    Parabéns Ná

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *